Notícias

Em contexto da pandemia, é mais que oportuno cuidar das fontes de água

Whatsapp



25/05/2020

Foto: Afonso Cavalcanti

Em contexto da pandemia, é mais que oportuno cuidar das fontes de água

Por Aniérica Almeida, assessora para Agricultura Urbana do Centro Sabiá

Você já ouviu muito falar que uma das formas de prevenir a contaminação do novo Coronavírus é lavar sempre as mãos com água e sabão. Higienizar tudo que temos contato, que vamos consumir ou usar, com álcool gel 70% ou com água e sabão. Mas você já parou para pensar de onde vem a água que usamos? Ou que muitas pessoas ainda não têm água em casa para atender suas necessidades?

No mês de março, comemoramos o Mês das Águas e das Florestas. Você sabe quais as relações entre as águas e as florestas? Gostaria de te convidar a refletir sobre como os Sistemas Agroflorestais (SAFs) ou Agroflorestas, que são sistemas de produção de alimentos que, imitam a natureza e as florestas. A agrofloresta é um sistema onde se plantam diferentes espécies agrícolas e nativas, promovendo a proteção do solo e construindo equilíbrio ambiental na agricultura.

No Estado de Pernambuco, muita coisa tem mudado com a implantação das agroflorestas em áreas de nascentes, matas ciliares de riachos, rios e açudes. As mudanças que vão desde uma produção mais diversificada de alimentos, à geração de renda e, acredite, geram aumento do volume de água nos agroecossistemas familiares! A água, que é um bem comum e muito importante para a vida de todos os seres, é fundamental nesse momento para combater o Coronavírus.

Veja o caso da jovem agricultura Maria José que mora na comunidade de Barreiros, município de Carnaíba, Semiárido de Pernambuco. Implantado em 2014 em uma área improdutiva da propriedade da família em que não havia nenhuma espécie de plantas da Caatinga e onde existia um olho d’água que secava todos os anos. A jovem relata que: “Há seis anos, através desse Sistema Agroflorestal, e na medida em que fomos plantando mais árvores, até hoje não falta mais água! Além da recuperação do olho d’água, produzimos frutas diversas e comida para os animais. Isso sem contar que é desse sistema que tiramos uma boa parte da nossa alimentação. Gera renda para a família e, o mais importante, reconstruímos o solo, que para muitos estava morto e improdutivo”.

Na Mata Sul, várias famílias recuperaram nascentes, margens de rios e riachos com a implantação de Sistemas Agroflorestais. Ivanildo Paulino, jovem do Engenho Camarão, em Barreiros, destaca que: “Antes do SAF, o afluente do Rio Carimã que passa na nossa propriedade era muito limitado, só tínhamos água no período do inverno quando vinham as chuvas. Com a implantação do SAF na mata ciliar em 2017, a situação foi mudando ao longo do tempo, se revigorando, aumentando e chegando a um nível em que o afluente passou a ficar com água todo o período do ano. Além dos ganhos com a produção de frutas e hortaliças colhidas do SAF, veio o benefício da água que agora fica todo o período do ano”.

As doenças na sociedade moderna estão associadas ao desequilíbrio ambiental e ao modo de vida das pessoas. Por isso, é importante apoiar iniciativas como a Agrofloresta que contribui para a produção de alimentos, de água e o equilíbrio ambiental.

 

Nós usamos cookies e outros dados e tecnologias para analisar, aprimorar e personalizar sua experiência no portal do Centro Sabiá. Clique em "OK" para continuar ou conheça nossa política de privacidade clicando aqui.

×